DICAS DE SAÚDE

Compre os remédios necessários antes de viajar

Em muitos países, mesmo com a receita do seu médico, você pode ter que passar em uma consulta com um médico local para conseguir os remédios.

É melhor você levar os remédios que toma habitualmente do que deixar para comprá-los no exterior. Leve-o em estoque suficiente para a duração da viagem, juntamente com seus dados clínicos (tipo sanguíneo, alergias, etc.) e receitas (de óculos, inclusive).

Na receita deve constar o nome genérico do remédio, já que o nome comercial pode variar de um país para outro.

Caso você queira comprar medicações, seu médico precisa fazer uma receita com o nome genérico do produto.



Como manter a saúde na viagem

1. Remédios
Leve com você todos os remédios que toma habitualmente, em vez de deixar para comprá-los no exterior. Caso você queira comprar medicações, seu médico precisa fazer uma receita com o nome genérico do produto (o nome comercial pode variar de um país para outro).

Em muitos países, mesmo com a receita do seu médico, você pode ter que passar em uma consulta com um médico local para conseguir os remédios.

2. Seguro-saúde
Estatísticas demonstram que uma a cada 30 pessoas viajando pelo exterior usa serviços médicos de emergência. Um seguro-saúde pode evitar despesas no caso de uma internação hospitalar.

A grandes operadoras de turismo oferecem esse tipo de seguro que cobre despesas médicas, internações e transporte em caso de acidentes ou emergências médicas durante a viagem. O custo é de cerca de US$ 1 a 2 dólares por dia de viagem.

3. Alimentos
Alimentos vendidos nas ruas devem ser evitados. Fique atento ao noticiário sobre epidemias de cólera. Evite comer alimentos crus ou muito apimentados.

4. Água
A água no hotel deve ser usada somente para o banho. Para beber, prefira mineral. Em países onde só há água engarrafada com gás, deixe-a descansando no copo até as bolinhas gasosas desaparecerem, se preferir.

5. Altitude
Em cidade situadas a mais de 2 mil m de altitude, a pressão parcial do oxigênio diminui e pode provocar falta de ar e cansaço, até que o organismo se adapte. Antes da viagem, tente descansar pelo menos 24 horas em localidade mais baixa, sem fazer muito esforço físico.



Combate ao "jet-leg" começa antes do embarque

Aquele desconforto que é sentido quando você faz viagens mais longas, com mudança de fuso horário, tem um nome específico: "jet-leg". Os sintomas mais comuns são sonolência, falta de atenção, irritabilidade e alterações do hábito intestinal.

As mudanças ocorrem porque o corpo está acostumado ao horário das refeições e de dormir, por exemplo, que são alterados.

O "jet-leg" é mais acentuado quando a diferença de horário entre o ponto de partida e o destino é superior a quatro horas. A cada hora de diferença, é necessário, em média, um dia para a adaptação completa. Isso significa que, por exemplo, em uma viagem do Brasil a Bancoc (mudança de dez horas), a sensação de desconforto só desapareceria completamente após o décimo dia na cidade tailandesa.

Uma maneira de driblar em parte o "jet-leg" é começar a adaptação antes mesmo do embarque. Na medida do possível, calcule os horários nos quais deveria estar almoçando e jantando no país para onde viajará e passe a seguir essa rotina.

Outra dica é tentar marcar a viagem proporcionando o desembarque durante o dia, para poder expor-se ao sol e começar a adaptação ao fotoperíodo (tempo ao qual o corpo fica exposto à luz natural) o mais rápido possível.



Usar lentes de contato em vôo causa lesão na córnea

Usar lentes de contato durante uma viagem de avião causa danos à córnea. A concentração menor de oxigênio e a falta de umidade na aeronave provocam o ressecamento do olho, que fica inchado com o atrito da lente de contato e causa desconforto.

Para amenizar a irritabilidade dos olhos durante o vôo, algumas gotas de colírio de lágrima artificial diminuem o sofrimento, mas não evitam possíveis danos à córnea.

A lesão consiste no deslocamento da camada superficial da córnea, comum nas viagens de avião acima de duas horas de duração.

Para esse tipo de dano ocular, considerado leve, nenhuma medicação ou tratamento são indicados por especialistas. O melhor a fazer é deixar de usar as lentes de contato até que os olhos se restabeleçam por si. Isso pode acontecer em horas ou em alguns dias, de acordo com a sensibilidade de cada um.

Durante esse período de convalescença, a pessoa vai sentir bastante dor no local, lacrimejamento e vermelhidão. Em pessoas com maior sensibilidade ocular pode ocorrer uma infecção, que se não tratada devidamente, transforma-se em úlcera de córnea. Mais grave, a úlcera tem como conseqüência a diminuição da visão no futuro.

Em vôos de até duas horas de duração é possível usar as lentes de contato sem prejuízos à visão, porém, recomenda-se não dormir com elas durante a viagem.